Menu

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Contra o “voto de cajado”, Aliança Evangélica divulga carta pastoral: “O púlpito não pode ser usado como plataforma política”. Leia na íntegra

Contra o “voto de cajado”, Aliança Evangélica divulga carta pastoral: “O púlpito não pode ser usado como plataforma política”. Leia na íntegra
A relação entre religião e política e a importância do voto para a construção de uma sociedade mais justa e equilibrada foi tema de uma carta pastoral a Aliança Cristã Evangélica Brasileira (ACEB).
O documento publicado no site da ACEB repudia a prática conhecida como “voto de cajado” e ressalta a necessidade do voto consciente: “Queremos celebrar a nossa democracia e o privilégio de contribuir, através do nosso voto, para a construção de uma sociedade mais sólida e participativa. Votar solidifica a democracia e queremos fazer parte deste processo”, pontua o texto.
A carta pastoral da ACEB tece críticas ao modelo político adotado no Brasil, e as falhas existentes no processo eleitoral: “O que preocupa sobretudo, neste novo período eleitoral, é que o nosso sistema político partidário é arcaico e viciado. Não responde às demandas atuais, ignora as possibilidades gerenciais e tecnológicas disponíveis e carece de profundas mudanças sistêmicas, programáticas e éticas”, frisa o documento, que emenda pedindo mudanças: “Este sistema precisa mudar e nossos políticos precisam adequar-se às necessidades de uma sociedade mais justa, mais transparente e mais participativa”.
-Como cristãos evangélicos, nos identificamos com a advertência do profeta Jeremias ao seu povo: “Procurai a paz da cidade e orai por ela ao Senhor, porque na sua paz vós tereis paz”. É por esta razão que, nas eleições que se aproximam, queremos caminhar para as urnas movidos por princípios que consideramos centrais.
A ACEB ressalta que a prática de indicação de candidatos por parte de líderes religiosos é algo que foge à ética e à vocação cristã: “O voto é exercício de cidadania. É secreto e tem de ser responsável. Não está à venda e não pode ser produto de negociações manipuladoras. ‘Voto de cajado’ é voto aviltado e precisa ser denunciado”, observa o texto, que ressalta a importância da separação entre fé e política: “A igreja é de Jesus Cristo e não pode ser identificada com nenhum partido político. O púlpito é sagrado e não pode ser usado como plataforma política de candidato algum”.
Confira abaixo a íntegra da carta pastoral da Aliança Cristã Evangélica Brasileira:
Carta Pastoral
A vocação cristã para o voto cidadão
“E procurai a paz da cidade… e orai por ela ao Senhor: porque na sua paz vós tereis paz. (Jr 29:7)”.
Caros irmãos e irmãs,
Aos nos aproximarmos das eleições municipais em outubro queremos celebrar a nossa democracia e o privilégio de contribuir, através do nosso voto, para a construção de uma sociedade mais sólida e participativa. Votar solidifica a democracia e queremos fazer parte deste processo. Reconhecemos que nos últimos anos o Brasil tem mudado muito e para melhor, mas o que preocupa sobretudo, neste novo período eleitoral, é que o nosso sistema político partidário é arcaico e viciado. Não responde às demandas atuais, ignora as possibilidades gerenciais e tecnológicas disponíveis e carece de profundas mudanças sistêmicas, programáticas e éticas. Este sistema precisa mudar e nossos políticos precisam adequar-se às necessidades de uma sociedade mais justa, mais transparente e mais participativa.
Votar é uma forma de contribuirmos, como brasileiros e brasileiras, para a construção da nossa nação. Como cristãos evangélicos, comprometidos com os destinos do país, vamos votar nesta consciência e convidar todos ao nosso redor a fazerem o mesmo.
Como cristãos evangélicos, nos identificamos com a advertência do profeta Jeremias ao seu povo: Procurai a paz da cidade e orai por ela ao Senhor, porque na sua paz vós tereis paz. É por esta razão que, nas eleições que se aproximam, queremos caminhar para as urnas movidos por princípios que consideramos centrais:
- O voto é exercício de cidadania. É secreto e tem de ser responsável. Não está à venda e não pode ser produto de negociações manipuladoras. “Voto de cajado” é voto aviltado e precisa ser denunciado.
- A igreja é de Jesus Cristo e não pode ser identificada com nenhum partido político. O púlpito é sagrado e não pode ser usado como plataforma política de candidato algum.
- Votemos no que consideramos melhor para a cidade e não em busca de favores pessoais ou mesmo de grupos.
- Votemos em candidatos que afirmem e tenham histórias de vida que reflitam os valores do Reino de Deus, entre os quais justiça, liberdade e verdade.
Caminhemos, pois, para o dia 07/10/2012 valorizando o nosso voto e o voto de todos, conscientes de que assim contribuiremos para a construção de uma sociedade democrática que não se esquece do outro, especialmente do pobre e do pequeno, e cujos resultados nos levem a dizer: Soli Deo Gloria!
Graça e paz!
Aliança Cristã Evangélica Brasileira
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Nenhum comentário: