Menu

domingo, 16 de junho de 2013

16 de Junho

"Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte..." Hebreus 2.14

Isso não quer dizer outra coisa do que Jesus Cristo, o eterno Filho de Deus, ter se identificado com a morte. Ele mesmo lutou com a morte. Não com a morte que quis matá-lO, mas pura e simplesmente com o obscuro e terrível poder da morte; Jesus venceu tirando-lhe o poder e a força que exercia. Paulo diz: "O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei."
A lei de Deus torna o pecado terrível e nos acusa; o aguilhão da morte é o pecado que nos separa de Deus. Mas, assim mesmo, o apóstolo exclama triunfantemente: "Tragada foi a morte pela vitória." Por isso, Paulo pode testificar também que, para ele, a morte não significa mais morte: "Tendo o desejo de partir e estar com Cristo." Certamente muitos leitores concordarão com esse "desejo de partir", mas existe a dúvida: "Será que isso tudo é realmente verdade?" Se há essa dúvida em seu coração, você deve se envergonhar, pois o Senhor Jesus prometeu a vida eterna a todos os que se arrependerem genuinamente: "...hoje estarás comigo no paraíso."

Nenhum comentário: